Em greve, trabalhadores da PROCERGS lutam por reajuste salarial, manutenção de direitos e em defesa da empresa pública

26.Janeiro.2021

Após seis meses de uma negociação arrastada e sem avanços, com a direção da empresa e o governo do estado irredutíveis no desejo de economizar cortando direitos, os trabalhadores da PROCERGS - Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio Grande do Sul S.A decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. Realizada de forma virtual, a paralisação começou no dia 18 de janeiro.
 
“A greve dos trabalhadores da PROCERGS acontece numa situação diferente da classe trabalhadora. Uma paralisação em que os trabalhadores estão desempenhando suas funções em home office, mas nem por isso ela perde a importância. Pelo contrário, é um movimento muito importante, porque é de resistência em defesa dos direitos. Mais uma vez a classe trabalhadora soube encontrar uma forma para fazer a melhor luta. É uma greve que pode ser exemplo para outras categorias, especialmente das empresas públicas e dos servidores públicos”, destaca a coordenadora da Secretaria Geral do SINDPPD Vera Guasso.
 
Como esperado, a greve tem sido atacada por parlamentares e por setores da imprensa que defendem a privatização de empresas e órgãos públicos. Críticas feitas por pessoas que desconhecem o funcionamento da empresa e o papel que ela cumpre na sociedade. Apostam na desinformação para reforçarem a ideia de que o funcionário público é o responsável pela precariedade financeira do estado.
 
Constantemente atacado, o qualificado quadro de trabalhadores da PROCERGS é responsável por serviços que auxiliam muito o governo e a população nesses tempos de pandemia. Mas o governo do estado e empresa tentam se aproveitar da pandemia e da crise econômica para cortar direitos e não reajustar salários. Não existe interesse da empresa e do governo gaúcho em ampliar as soluções tecnológicas oferecidas à população.
 
"Esta é mais uma situação de desmonte do serviço público estadual promovida pelo governo de Eduardo leite, que escolheu os servidores para resolver os problemas do Estado. Assim como os trabalhadores do Executivo, especialmente dos quadros Geral, Especial e Técnicos, o arrocho está insuportável. Todo apoio aos colegas da PROCERGS", afirmou o presidente do Sindicaixa, Érico Corrêa, na plenária virtual de solidariedade à greve, que contou com a participação de mais de 300 pessoas, entre dirigentes sindicais, centrais e parlamentares, além dos trabalhadores da empresa.
Icons made by Bullseye from www.flaticon.com is licensed by CC 3.0 BY