Corte de salários: propostas do Partido Novo caíram

03.Abril.2020

Foi votada no início da noite desta sexta-feira, 3, na Câmara dos Deputados, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 10/2020, conhecida como “Orçamento de Guerra”. Consideradas estranhas à PEC, propostas apresentadas pelo Partido Novo que reduziam em até 50% os salários dos servidores públicos não foram apreciadas. Mesmo com a derrota das emendas do Novo, é preciso manter-se em alerta, pois enquanto os ricos seguem protegidos, os trabalhadores são chamados a pagar a conta da crise com vidas e salários.

As emendas apresentadas pretendiam suspender a garantia da irredutibilidade salarial dos servidores públicos enquanto durar o estado de calamidade pública. Estabeleciam a redução de subsídios, salários e proventos de maneira progressiva e escalonada, de forma cumulativa.

Durante a sessão, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) defendeu novamente a imediata redução dos salários dos servidores e se posicionou contra o Imposto sobre Grandes Fortunas. Segundo ele, bilionários e milionários fazem grandes caridades em todo o país. A taxação das grandes fortunas, a revogação do congelamento dos investimentos (EC 95/2016) e a suspensão do pagamento dos juros da dívida pública são recusadas pelo governo, enquanto o rebaixamento dos salários dos servidores está entre as prioridades.

Icons made by Bullseye from www.flaticon.com is licensed by CC 3.0 BY