Manifestação contra os ataques à educação e contra a reforma da Previdência reúne trabalhadores e estudantes

14.Agosto.2019

Contra os ataques à educação pública e à reforma da Previdência, estudantes e trabalhadores saíram às ruas em todo o Brasil na terça-feira, 13. Em Porto Alegre, o dia teve um ato público na Esquina Democrática e uma caminhada até o Campus Centro da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Organizados no Sindicaixa, servidores levaram bandeiras e pirulitos ao protesto.

As falas condenaram os ataques à educação, principalmente ao programa Future-se e aos cortes de verbas das instituições federais, e a reforma da Previdência. A educação no Brasil não será tratada como mercadoria. Os trabalhadores e os estudantes não irão aceitar retrocessos na educação e nos direitos. Bolsonaro tem como políticas de governo o combate a educação e aos direitos dos trabalhadores, mas o seu projeto entreguista será derrotado nas ruas.

A mobilização na capital gaúcha começou com um protesto organizado pelos servidores, em frente ao Palácio Piratini, contra o atraso no pagamento, o parcelamento e o congelamento de salários. O governo Leite elegeu o funcionalismo como adversário. São 44 meses de salários atrasados e parcelados. Por outro lado, grandes devedores do Estado continuam sendo beneficiados.

Icons made by Bullseye from www.flaticon.com is licensed by CC 3.0 BY